Cachalote: graphic novel produzida a quatro mãos fala da incompletude e da solidão humanas

Cachalote (Quadrinhos na Cia., 280 páginas) é a graphic novel de estreia do escritor Daniel Galera, um dos nomes da nova geração da literatura brasileira, em parceria com o cartunista Rafael Coutinho. Cachalote é vista como uma prosa em quadrinhos e em suas páginas não numeradas, o livro conta seis histórias que: Xu é um genial astro decadente do cinema chinês que está perdido em São Paulo para o lançamento de seu filme e acaba sendo acusado da morte de seu melhor amigo. Hermes é um escultor que vive insulado em sua casa que após uma proposta ele aceita participar em um filme que a historia é a de sua vida. Vitório trabalha como atendente em uma loja de ferragens e é fanático pelo fetiche com cordas e que se apaixona por Princesa, uma garota linda com tendências masoquistas, cujo rosto nunca é visto. Rique é um playboy que é expulso da casa do tio por pegar a namorada dele e é mandando a Europa para poder a encarar a vida e acaba encontrando a solidão. Túlio é escritor e está vivendo um bloqueio criativo e Vita é sua ex-esposa e precisa tomar remédios controlados, eles formam um triste casal recém-separado, e que tem a filha como ponto em comum. Há ainda das historias que apenas abre e fecha o livro, uma velha que está grávida e que topa com uma baleia numa piscina.

Todas as historias estão sobrepostas numa lâmina, os personagens estão vivenciando algum momento marcante na vida, que muitas vezes surge de forma inesperada, e que muitas das vezes, não é justificada, não se explica e nem mesmo se resolve. O silêncio como é visto tanto nos balões quanto na ação descrita, é muitas vezes oferecido como a única saída aos conflitos, como a única solução para o sentido que sempre falta algo para ser resolvido na vida.

Em Cachalote a metáfora é usada em muitos momentos para indicar o interior de cada personagem, que mesmo tendo suas vidas em meio aos conflitos eles estão sozinhos, durante as narrativas é preciso interpretar cada um dos atos dos personagens e seus conflitos para assim ter uma descrição do estado de cada personagem e para compreender os passos finais de cada história.

As histórias de Cachalote não se cruzam, elas formam um conjunto, porém, nenhum dos personagens se encontra em algum ponto da historia, mas suas narrativas mostram momentos de crises dos personagens, onde esses momentos são “buracos” nas vidas desses personagens, é esses “buracos” que fazem a historia caminhar, e durante toda a narrativa vemos o atrito que a incompletude de sentido da vida causa.

Com isso, a pergunta: o porquê do nome da historia ser Cachalote? Cachalote é uma espécie de baleia que vive na completa solidão no oceano, apenas nos momentos de acasalamento é que vemos os cachalotes se encontrem, após isso eles continuam seus rumos sozinhos.

A incompletude que a vida mostra, a solidão dos homens e busca para a auto-realização são pontos que Daniel Galera e Rafael Coutinho trouxeram através das narrativas de Cachalote para falar um pouco dos seres humanos e nossa vida em sociedade, esses pontos são tratados na forma de metáforas, elas indicam eterna busca de todos os seres humanos: um sentido para a vida.

A graphic novel “Cachalote” é dica de uma boa e nova forma de literatura para ser lida.

Os autores:
Em segundo plano vemos Daniel Galera, ele nasceu em São Paulo, em 1979, e vive em Porto Alegre. Ele é escritor e tradutor. Foi um dos criadores do selo editorial Livros do Mal onde publicou seu livro de contos Dentes Guardados (2001), e publicou pela Companhia das Letras seus romances Até o dia que o cão morreu (2003) que também foi adaptado para o cinema por Beto Brant e Renato Ciasca com o nome de Cão sem dono, o romance Mãos de Cavalo (2006) e Cordilheira (2009). Seus livros estão sendo publicados na Argentina, em Portugal e na Itália.

Em primeiro plano o quadrinista Rafael Coutinho, ele nasceu em São Paulo, em 1981, é formada em Artes pela Unesp, trabalhou com diversas áreas da animação, pintura e ilustração. Suas historias em quadrinhos foram publicadas nas antologias Bang Bang e Irmãos Grimm.

Cleison Guimarães é aluno de Psicologia. É escritor iniciante, colunista, blogueiro e twitteiro. Seus blogs são Alternativa Urbana nº 92 (alternativaurbana92.blogspot.com) e Caleidoscópio (cleisonguimaraes.tumblr.com). Você também pode segui-lo no Twitter – twitter.com/cleisonguiraes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: