Jardim da morte

*Pintura: Hugo Simberg - Garden of Death

No jardim de sombras da morte,
Onde relaxo e espero minha sorte,
Ouço uma melodia que acalma
E sublima minha atormentada alma.

Pianos doces e silvos aprazíveis
Soam como antigos amigos invisíveis.
Um violoncelo toca sua canção grave e bela
E o som do mar quebra em ondas de ternura.

A morte, gentil e nívea,
Joga comigo uma última partida,
E diz, com olhos de candura:
“A última sempre venço.

Agora, venda-te com este lenço,
Que chegou a hora da tua ida.
Pega o barco, tuas moedas e vai.
Esperam-te do outro lado.”

Parto eu calmo, sereno e calado.
Descansado de minha última caminhada,
Deixo o gélido aconchedo do jardim da morte
E sigo para outra jornada.

(Eduardo Magalhães .:)

Anúncios

4 comentários em “Jardim da morte

Adicione o seu

  1. Muito Bonito =)
    Ao ler dá uma sensação boa, tira toda tristeza que a “morte” revela e da uma paz pra essa hora que todos hão de passar…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: