Eu, a Psicologia e meu idealismo

por Cleison Guimarães

Quando eu estava no Ensino Médio não sabia ao certo o que fazer na faculdade. Na infância meu sonho era ser astronauta porque deve ser lindo você ver o planeta do lado do espaço, depois pensei em Arquitetura e porque era legal você construir muitos prédios, depois pensei em Letras porque queria ser um escritor que nem Machado de Assis (mesmo que nunca eu tivesse lido Machado de Assis) e quem sabe assim escrever sobre uma nova Capitú, ai parei de pensar nisso.

Quando entrei no Ensino Médio, o pesadelo voltou a me assombrar. Nesse período minhas escolhas foram um tanto aleatórias no sentido de se relacionarem apenas com que eu estava gostando na época, ai pensei em Biologia, História, Letras (de novo) e Matemática, no fim (quando eu tinha 17 anos) não sabia o que fazer da vida e acabei não passando em nada no vestibular, talvez esse fato fosse um tanto de maldição e benção. Maldição pelo fato de não ter passado no vestibular e ficar sem perspectiva de algo na vida e benção porque seria hoje uma pessoa totalmente frustrada, isso eu tenho certeza!

Uma amiga já fazia Psicologia e eu comecei a achar interessante algumas coisas que ela falava, mesmo não entendendo muita coisa e acabei fazendo um vestibular no meio do ano pra Psicologia meio que pensando “ah, se acontecer… eu faço o curso” e passei, mas não tinha o mínimo conhecimento do que era Psicologia e o que se estudava de fato nela.

Tem gente que diz que faz Psicologia pra se conhecer melhor ou porque todos dizem que ela ou ele sabe dar conselhos e a melhor coisa era fazer Psicologia, porque juntaria o útil (dinheiro) ao agradável (continuar achando que o psicólogo dá conselho e nunca ser um psicólogo de verdade). Mas no meu caso não sei ao certo, até hoje, porque fiz o vestibular pra Psicologia, talvez pela curiosidade que minha amiga me levou a ter, talvez pela curiosidade de me conhecer melhor (você que pensa assim é melhor fazer terapia, é mais barato e pode levar menos tempo e sim eu já fiz terapia), mas a certeza que eu tenho é que não lembro o que respondi para a professora do 1º período (disciplina “Introdução a Psicologia”) quando ela me perguntou isso em uma dinâmica de grupo. Prefiro acreditar que minha ignorância tenha me salvado de alguma forma.

A outra certeza que tenho é que desde lá venho me descobrindo cada vez mais na faculdade e aprendendo a compreender os outros e também a mim mesmo. E quem sabe tudo o que acontece na vida de alguma forma. Não sei se estou certo, mas me esforço por isso e gosto de acreditar nisso.

É um tanto idealista, mas me motiva há continuar cada dia pegando os mesmos ônibus para ir pra aula, encontrando as mesmas pessoas há quase cinco anos, subindo a mesma ladeira que é também a rua da minha faculdade, conhecer o prédio todo como a palma da minha mão e voltar todos os dias, estressado, pra casa.

Mas é preciso ser um pouco idealista nessa vida, acho que não fosse isso não teríamos Freud, Rogers, Jung, Skinner, Watson, Lacan e eteceteras de inúmeros teóricos que, apesar dos pesares e de tantas discursões de que “eu estou certo e você não” entre tantas abordagens, foram tão idealistas que caminharam onde poucos caminham, na própria subjetividade humana.

Não sei se esses teóricos almejavam fundar alguma ciência de fato, mas eu prefiro acreditar que graças a eles é que eu estou encontrando um ideal para se viver.

* * *

Cleison Guimarães é acadêmico de Psicologia. É escritor iniciante e blogueiro. Visite seu blog, o Caleidoscópio, aqui. Siga-o no twitter, aqui.

Anúncios

6 comentários em “Eu, a Psicologia e meu idealismo

Adicione o seu

  1. Nossa que texto legal ebem escrito. Tbm me sinto como vc, depois que entrei para a faculdade (tbm sem saber muito bem o que queria, rsrsr), e a partir de outros acontecimentos na minha vida, venho me descobrindo a cada dia, para melhor ainda bem, rsrsrs. Prabéns!!!!!!!!!!

  2. Nossa que texto legal ebem escrito. Tbm me sinto como vc, depois que entrei para a faculdade (tbm sem saber muito bem o que queria, rsrsr), e a partir de outros acontecimentos na minha vida, venho me descobrindo a cada dia, para melhor ainda bem, rsrsrs. Prabéns!!!!!!!!!!

  3. Adorei o texto e acho que me identifiquei com ele tambem, pois foi quase a mesma coisa que aconteceu comigo…rsrsr mas estou adorando estudar psicologia….Parabens mais uma vez.

  4. Gostei do texto! Acho que a maioria das pessoas passa pela dúvida de escolher a profissão que vai exercer no futuro.

    Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: